Branding

Istambul e Amsterdam: Cidades ou Marcas?

26 de Junho de 2015- Por Rafael Teles - CEO0

Na semana passada fiz um post falando da nossa visita em Istambul e hoje aproveito para abordar um pouco mais do assunto. Para isso, me aproveitei do post do Áleffe Andrade sobre Personal Branding e relacionei dois temas: cidade e branding.

Você já parou para pensar que algumas cidades precisam se comportar como uma marca?

Inúmeras cidades no mundo criaram uma sensação de desejo para converter turistas em consumidores, sendo que algumas ainda foram além e chegaram ao nível de consumidores fan brand (pessoas que se identificam tanto com algo e acabam promovendo-o). É o que acontece com cidades como Paris, Nova Iorque, Istambul e Amsterdam.

Em Istambul tivemos um choque, pois a cidade é espetacular e sabe utilizar o que tem de melhor: história, cores, sabores, calor humano, beleza natural e agitação. Isso isoladamente já é um grande feito do ponto de vista de marketing. Muitas empresas (e cidades) escondem o que tem de melhor, sendo que em Istambul acontece exatamente o contrário: ao deixar o aeroporto você já se depara com o core business da cidade e com tudo que ela tem pra oferecer. Aqui vai uma dica: caso você queira visitar Istambul, conheça de antemão um pouco da sua historia, isso tornará a visita ainda mais encantadora. Istambul foi, em um passado bem distante, a cidade mais importante do mundo e ao mesmo tempo é extremamente cosmopolita. Dá-lhe Istambul! A cidade me tornou um fan brand.

Após a visita em Istambul, fomos convidados pela Turkish Airlines para aproveitarmos e avaliarmos seu hub de conexões, afinal, poucas pessoas sabem que a Turkish dispõe desse hub para voos em todo o mundo a partir da cidade. Saindo do Brasil você embarca em Guarulhos, vai até Istambul e de lá pode se conectar a mais de 268 destinos do mundo, em 109 países. Nós escolhemos Amsterdam que, além de ser um local que sabe explorar muito bem o marketing ao seu favor, foi a cidade em que agendamos uma reunião com a Candice Pascoal, Criadora da Kickante, plataforma de Crowdfunding.

Partimos para Amsterdam e não foi diferente a questão de saber trabalhar muito bem o branding. Apesar de Istambul ser a única capital do mundo presente em dois continentes, em Amsterdam as características Europeias são mais visíveis. Mesmo antiga, a cidade é sofisticada e possui um espírito jovem. Em todo o trajeto até o hotel fica visível que a cidade tem excelente preparo para o turismo e para quem quer fazer negócios. Este é seu core business e isso fica evidente ao pisar nela.

Um ponto alto de Amsterdam é o serviço. A cidade é linda, mas o serviço a deixa ainda mais bela. Novamente penso em como o cadeia inteira do marketing mix precisa funcionar para termos algo que transcende a simples visita a uma cidade. Além do serviço excepcional, ideias simples fazem toda a diferença. A placa “I Amsterdam”, por exemplo, atrai milhares de pessoas. Algo completamente genial que mostra que a complexidade está em deixar as coisas simples.


Nestas visitas parei muito para analisar esta questão do Brand City e vejo como as cidades brasileiras deixam muito a desejar nisso. Se soubéssemos trabalhar melhor, poderíamos multiplicar o faturamento oriundo do turismo. É claro que essas técnicas são complexas, mas, quando bem utilizadas, mudam todo o cenário. Isto se aplica a diversos segmentos: festivais, eventos corporativos, comunicação corporativa, entre outros. Cada área deve saber explorar exatamente como pode ser melhor para que os resultados sejam mais significativos.

Entendemos o branding como algo fundamental para atingir resultados, por isso somos especialistas em fazer sua marca conversar com o restante do seu negócio. Se você precisar de uma agência para isso, não deixe de entrar em contato pelo formulário abaixo, estamos ansiosos em te ajudar.

O que achou dessa postagem?

Nos mande seu comentário, é simples e rápido.

Compartilhe essa Notícia:
Rafael Teles - Agência Gênia
Rafael TelesCEO

Receba em primeira mão

Cadastre-se e receba as novidades em seu e-mail.

OUTRAS POSTAGENS

Anterior

O que aprender com o Super Bowl?

Proximo

Como o Repertório Permite Resolver os…