Branding

3 Pensamentos Sobre Branding que Vão te Ajudar a Gerar mais Valor à sua Marca

08 de Agosto de 2016- Por Rafael Teles - CEOcapa do blog de artigo 3 Pensamentos Sobre Branding que Vão te Ajudar a Gerar mais Valor à sua Marca

Ultimamente tem se falado muito sobre Branding, e este termo pode ter inúmeros sentidos. Mas afinal, o que é Branding e como isso pode ser útil no gerenciamento dos seus negócios ou no departamento de marketing da sua empresa?

Com o empoderamento do consumidor e a tecnologia em grande ascensão, a concorrência está cada vez mais acirrada, e por esse motivo, o mercado de publicidade e propaganda enfrenta plena transformação. O Branding, para muitos, se tornou a solução ideal para conectar marcas e pessoas. Em alguns casos pode até ser a solução ideal, em outros não, é importante analisar qual recurso faz mais sentido para a sua empresa.

Bom, antes de mais nada vamos entender o que é Branding. Para isso, compartilho três pensamentos que vão tornar tudo mais claro:

1. Branding é que o falam de você, quando você não está perto.

O que vem a sua mente quando você pensa em marcas como Disney, Petrobras, Posto Ipiranga, etc?

É papel das marcas calibrar a interpretação do mercado sobre elas. Não se pode deixar que cada indivíduo tenha um olhar particularizado sobre a marca. É claro que cada indivíduo tem experiências únicas com as empresas, e isso se transforma em uma percepção ímpar, mas no todo é importante pensar em ações institucionais que agreguem a marca uma determinada imagem solidificada.

Tudo interfere na calibração da mensagem, desde um comercial na TV até uma notícia na imprensa. O importante é pensar no que pode ser feito, nos fatores internos e externos da empresa, e saber quando ser proativo ou reativo nas ações de comunicação.

2. Branding é inserir a marca no centro da gestão.

Muitas empresas são geridas apenas pensando nos números. Analisar os números é importante, mas mais importante ainda é ter a ciência de que os números conquistados através do Branding são números intangíveis.

Repare que na maioria das compras e fusões, o que faz os números explodirem é o valor de mercado, e não os ativos físicos das empresas. O que você acha que vale mais: a marca Coca-Cola ou as fábricas que produzem o seu refrigerante?

As marcas mais valiosas do mundo tomam atitudes pensando sempre em como sua imagem será vista no mercado. Mais do que vender produtos e serviços, elas se preocupam em entregar algo que vai além da transação comercial, e isso vai gera um impacto muito positivo, logo, aumenta o seu valor de mercado.

Juntando o lucro de uma empresa durante vários anos, o total nem se aproximaria do valor de mercado desta marca se todo esse lucro fosse reinvestido com o objetivo de conquistar território de marca. Na maioria absoluta dos casos, o valor de mercado sempre ganha do acumulado de lucros.

3. Gerir marca é dinheiro na conta e muitas vezes é a solução para problemas que ainda nem existem.

A Parmalat, mesmo depois de quebrar, conseguiu voltar para o mercado porque tinha uma marca que ninguém hesitaria para investir dinheiro. O valor da marca, salvou a Parmalat.

A Apple conseguiu emplacar novamente, porque o próprio Steve Jobs era uma marca valiosa, e todos sabiam que podiam apostar naquilo em que ele acreditava.

Branding é um termo complexo e pouco explorado ainda no Brasil. Dentre as diversas carências do nosso mercado, este é só mais um deles. Ficar atento às mudanças é o que você pode fazer para ficar em posição de destaque, afinal, “em terra de cego, quem tem olho é rei”.

O que achou dessa postagem?

Nos mande seu comentário, é simples e rápido.

Compartilhe essa Notícia:
Rafael Teles - Agência Gênia
Rafael TelesCEO

Receba em primeira mão

Cadastre-se e receba as novidades em seu e-mail.

OUTRAS POSTAGENS

Anterior

O que aprender com o Super Bowl?

Proximo

Por que o meu Pai é tão... Cervejeiro!